SEMPRE ME PERMITIREI TE AMAR

 

 

O rio corre triste

Na direção do mar

Os pássaros voam

Pálidos para contemplar

O silencio que ofusca

O lunar

Quando um poeta

Não consegue encontrar

O que faz sentido

Ao desejo de amar

 

Por isso vou

Pra lá

 

Muito além

De me permitir chorar

Bem mais perto

Do que já pude estar

Se no final

Só conseguir chorar

Que as lágrimas

Possam o amor reavivar

 

Porque quero estar

 

Onde os ventos

Fazem moinhos girar

Junto ao tempo

Que faz o novo acordar

As estrelas

Que vão incendiar

O que eu nem sei…

Mas sempre

Me permitirei

Te amar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *